terça-feira, 8 de janeiro de 2013

GCM contra skatistas na Roosevelt: uma guarda muito além de seu próprio lema


Aconteceu na primeira sexta-feira do ano (04/01), foi parar no YouTube dois dias depois (06/01) e passou a ser notícia no G1 nesta terça (08/01). Um integrante a paisano da GCM de São Paulo, cujo lema é "AMIGA, PROTETORA e ALIADA" deu um chave de braço em um skatista na praça Roosevelt. Vários jovens cercaram o agressor pedindo que liberasse o rapaz ao que foram correspondidos com um show de spray de pimenta enquanto reforço era chamado. O skatista que estava filmando toda a cena também ganhou uma dose super-extra de spray de pimenta no rosto o que o fez afastar-se. Logo que pôde voltou à cena do crime e seguiu gravando a cena ao que foi recebido por um tratamento no mínimo inusitado pelo agente da GCM. O "diálogo" se deu mais ou menos assim:
- Agita meu! Agita meu! Vai agita! Vai, vai, agita!
- Que é você que quer mano?
- Seu pau no cu!
- Você é policial. Você tem que proteger a gente!
- Agita!
- Proteger. Você tá errado!
- Cala essa porra dessa boca, quem tá errado aqui é você seu bosta, tu não é porra nenhuma!
- Por que é que eu tô errado?
- Seu merda do caralho! Seu bosta!
- Eu não sirvo pra nada? Eu trabalho pra caramba.
- Taca pedra seu pau no cu! Trabalha porra nenhuma! Você é vagabundo! Fica aqui andando de skate!
- Ah... meu Deus!
- Tá? Seu arrombado!
- Beleza!
- Seu vagabundo "paga-bico" porra nenhuma!
Que maravilha hein? Depois de uma chave de braço "amiga" e de uma "protetora" dose de spray de pimenta, nada melhor que um belo bate-papo de "aliado".

Naturalmente o episódio descamba para o debate do tema do uso das praças e da convivência entre os diversos públicos e culturas, um assunto pra lá de saudável e necessário, coisa que é feita de forma tendenciosa pelo próprio G1 mas também de um ponto de vista que busca o diálogo como faz o Tsavkko em seu blog. Mas o que não pode em hipótese alguma deixar de ser debatido é a necessidade e até mesmo a própria existência da guarda municipal, seja ela em São Paulo ou em qualquer lugar do país. Isso mesmo! Sou daqueles que acredito que as guardas municipais sequer deveriam existir e suas existência e desenvolvimento, inclusive passando do armamento não-letal para armas de fogo como em Salvador, demonstram o fracasso da sociedade moderna de conceder o próprio acesso à cidade a seus moradores.

Qual o sentido da guarda? Seria porque os jovens estragam as praças com seus skates e tudo o mais? Ou seria porque os ambulantes atrapalham o caminho das "pessoas de bem" com suas tralhas espalhadas nas calçadas? Seria por causa dos moradores de rua que enfeiam a cidade? Seriam esses os problemas que justificariam a solução "Guarda neles"? Pois bem... se é isso então não poderia ser mais contrário do que sou à existência da guarda. O que nossa juventude precisa é de espaço para praticar skate ou o que quer que seja. Já os ambulantes existem porque não há emprego digno para todos nas cidades. E os moradores de rua por sua vez precisam é de lugar para morar. Ou seja, direito à cidade é o que todos precisamos. E como os administradores não estão dispostos nem são capazes de garantir isso o caminho, como sempre, é o da boa e velha repressão.

Aproveitando a deixa do autor do video do YouTube que colocou o problema da Roosevelt no centro das atenções nos últimos dias, deixo meu recado não menos irônico aos prefeitos e gestores municipais: "Parabéns pelo serviço de vocês, vocês estão de parabéns" (sic).

Segue o video: