terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

E chegou a vez do Ceará: 1200 operários parados nas obras do estádio Castelão

O estádio "queridinho" da FIFA parou. Isso mesmo. Tido como obra modelo e orgulho das construtoras, os operários do estádio cearense cruzaram os braços na manhã desta segunda reivindicando equiparação salarial, aumento nas horas extras e na participação dos lucros, assim como melhorias nos planos de saúde e cesta básica.

A paralisação das obras do Ceará é muito mais do que justa e sinalizam tanto para os operários como para a patronal que uma greve nacional dos estádios é mais do que possível. Pelo que tudo indica inclusive é muito provável que ela venha ainda neste primeiro semestre, mas é claro que sempre existe a possibilidade de "cooptação" dos dirigentes.

Seguem links sobre a paralisação no Ceará: