quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Um mundo melhor segundo a Monsanto é um mundo com muito mais câncer

A Monsanto é uma empresa multinacional do ramo da agricultura e da biotecnologia com sede no estado do Missouri nos Estados Unidos muito conhecida por ser lider mundial na produção de herbicidas e em especial de produtos transgênicos.

Fundada em 1901, a Monsanto foi a responsável pela produção do agente laranja, uma mistura de herbicidas poderosíssima que foi utilizada pelo governo estadunidense como arma química contra as florestas e o povo vietnamita durante a Guerra do Vietnã. Foram 80 milhões de litros de herbicidas despejados pelos aviões ianques entre os anos de 1961 e 1971 com a aprovação do então presidente John Kennedy apesar das Convenções de Genebra proibirem o uso de armas químicas entre países em guerra desde o ano de 1925. O resultado ainda é percebido até os dias de hoje, mais de 40 anos depois, com várias regiões do país com concentração de toxicidade 400 vezes superior ao aceitável e com incontáveis casos de doenças de pele, incapacidade mental, câncer e má formação genética, mesmo entre aquelas pessoas cujas famílias nunca foram expostas ao herbicida durante o período da guerra. Em síntese: o Vietnã teve sua vegetação, terras e águas irremediavelmente envenenados pelos preciosos produtos da Monsanto.
Mas era uma guerra, dirão alguns. Isso não tem nada a ver com os herbicidas e sementes transgênicas comercializados pela Monsanto nos dias de hoje. Não é mesmo? Bem... não é o que afirma a edição da revista "Food and Chemical Toxicology" publicada nesta quarta-feira, dia 19 de setembro. Segundo o estudo publicado pela revista, cerca de 200 ratos foram alimentados durante um prazo máximo de dois anos com uma dieta balanceada que continha milho transgênico (OGM NK 603), milho tratado com o herbicida Rondup ou mesmo com os dois, ambos da Monsanto. Os resultados foram, nas palavras dos pesquisadores, "alarmantes". O índice de mortalidade e de ocorrência de câncer chega a ser 2 ou 3 vezes superior ao normal. Em alguns casos, os ratos chegaram apresentar tumores do tamanho de bolas de ping-pong.


Pra quem não sabe desde 2005 o uso e comercialização de transgênicos está liberado no Brasil através da lei de biossegurança graças à sanção do então presidente Lula, que ignorou o pedido de mais de 100 países para que os transgênicos não fossem legalizados enquanto não houvesse um acordo internacional com regras mais claras sobre o tema. No seu ímpeto de ajudar as grandes empresas, como nunca se fez na história desse país, o presidente abriu as porteiras para os produtos geneticamente modificados, sem se preocupar sequer com um estudo mais aprofundado sequer das conseqüências para a saúde e a vida das pessoas. Ironicamente, o próprio Lula foi recentemente vítima de câncer. É claro que não dá pra dizer que é culpa da Monsanto. Mas da mesma forma não dá também pra dizer que não é.

Mas uma coisa clara. Se a Monsanto trabalha por um mundo melhor, tal como ela própria afirma, esse tal mundo será com muito, mas muito mais câncer.